Como fazemos a gestão das escalas do Grupo DOC

Geral 05 de Setembro de 2022

Abaixo explicamos um pouco mais sobre como gerenciamos as escalas médicas que estão sob nossa responsabilidade

1. Prioridade para os plantonistas fixos

Um dos erros mais frequentes em escalas de plantão médico é organizar os horários em cima da hora. Quando o hospital conta com muitos plantonistas, ou até mesmo com escalas eventuais, fazer o gerenciamento dela torna-se muito complexo. Por isso, temos uma escala médica fixa para realizar os plantões, facilitando a organização da escala e o cumprimento dela.

Assim, mesmo que ocorra algum imprevisto e seja necessário alterar algum horário, já haverá uma escala estável para os próximos meses.

2. Entendemos as necessidades individuais dos profissionais

Os plantões costumam ser longos e cansativos, ainda mais em época de pandemia, portanto, é comum que o profissional se sinta exausto fisicamente e até mentalmente.

A nossa equipe de escalas reconhece as necessidades de cada profissional e respeita ao evitar plantões consecutivos, limitando o número de atividades noturnas e de finais de semana. Saber conciliar conflitos de agenda daqueles que ainda estão fazendo residência médica ou alguma especialização, por exemplo, é muito importante.

Isso contribui para o bem-estar da equipe, ajuda a construir um bom ambiente de trabalho e a prestação de serviço traz melhores resultados.

3. Contar com médicos de sobreaviso

Imprevistos podem ocorrer, certo? E, por isso, tentamos ter profissionais disponíveis para que o hospital não fique com o plantão desfalcado. Mesmo que a gente não consiga deixar alguém na “espreita”, sabemos com quem podemos contar em determinado dia.

É função da equipe médica manter a escala sempre completa. Portanto, ela precisa estar preparada para cobrir o máximo de faltas simultâneas possível. Não é aceitável que haja menos médicos que o contratado ou que o hospital precise enviar seu gerente ou diretor médico para cobrir ausências. Ainda, como a demanda do pronto-socorro é espontânea, e não totalmente previsível, é possível que em determinados momentos o volume de atendimentos seja desproporcional ao número de médicos assistentes. Nestas ocasiões, o médico de sobreaviso pode ser acionado para um acréscimo na escala e conter o aumento pontual da demanda. 

4. Controlar horários e desempenho

Nós acompanhamos o desempenho de cada profissional, analisando fatores como pontualidade, número de atendimentos, adesão a protocolos, retorno de pacientes pelo mesmo motivo, satisfação dos pacientes, entre outros.